Google propõe criar “Fundo de Inovação para o jornalismo”

O Google propôs criar um “fundo de inovação para o jornalismo” como alternativa ao modelo de remuneração jornalística previsto no Projeto de Lei das Fake News, que tramita em regime de urgência na Câmara dos Deputados. A empresa acredita que a proposta atual pode ser prejudicial à produção jornalística do País, por desincentivar a inovação e dificultar o combate à desinformação produzida por “suposta fonte jornalística”.

O texto mais recente que circula no Congresso causa impacto no modelo de negócios tanto das big techs, como são chamadas as empresas que administram as redes sociais, quanto dos veículos jornalísticos e das agências de checagem. Um dos pilares do projeto obriga as plataformas a remunerar as empresas jornalísticas pelos conteúdos noticiosos usados pelos provedores, fato inédito no País.

Acesso

“A proposta coloca preço em links em buscadores e agregadores de notícias, impactando diretamente na sua capacidade de encontrar e acessar livremente páginas na internet”, escreveu a empresa, em nota. O Google acredita que o atual texto do projeto desconsidera a troca de valor entre plataformas e veículos de notícias e tira o incentivo de novos investimentos.

A empresa propõe que o projeto “reconheça o investimento existente no ecossistema noticioso brasileiro” e incentive modelos de inovação que apoie o jornalismo por meio de produtos, programas e licenciamento de conteúdo. “Sem reconhecimento explícito, haverá pouco incentivo para que esses esforços de parceria continuem existindo.”

(Fonte: Blog Heitor Gregório/ *Informação do Estadão)