Natal e Mossoró estão entre as 80 cidades para se empreender no país de acordo com o ICE

Em levantamento publicado anualmente pelo Instituto Cidades Empreendedoras (ICE), que avalia as 101 maiores do Brasil com melhores condições para se empreender, colocou Natal na 49ª posição e Mossoró em 77º lugar. A capital potiguar apresentou melhora em três dos sete índices avaliados. Já a segunda maior cidade do Estado, Mossoró, subiu oito posições em comparação com o levantamento anterior. Mesmo com essas duas cidades no ranking, o Rio Grande do Norte só chega a ser citado no relatório 2023 após 24 estados terem, pelo menos, um município na frente. Para interlocutores do setor de empreendedorismo de Natal e do RN, melhorias em infraestrutura, carga tributária e apoio ao empreendedor são pontos necessários para melhora nos índices.

O estudo é publicado anualmente desde 2014, pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap). Foram avaliados sete determinantes: Ambiente Regulatório (Natal 96º, queda de 25 posições), Infraestrutura (Natal 29º, queda de nove posições), Mercado (49º, queda de duas posições), Acesso à Capital (Natal 41º, manutenção), Inovação (Natal 46º, crescimento de 14 posições), Capital Humano (Natal 29º, crescimento de 15 posições) e Cultura Empreendedora (Natal 14º, ganho de uma posição). Em comparação com o último relatório de 2022, a capital potiguar apresentou queda em relação ao último relatório, quando ocupou a 42ª posição..

Mossoró sobe oito posições

A segunda cidade potiguar citada no ranking é Mossoró, ficando na 76ª posição. A capital do Oeste do RN ganhou oito posições em relação ao último relatório, melhorando nos índices de Infraestrutura (55º, ganhando cinco posições), Mercado (96º, ganho de três posições), Acesso à Capital (62º, uma posição), Inovação (70º, quatro posições), Cultura Emprendedora (22º, ganho de 40 posições). “Pode-se destacar que a evolução aconteceu em função dos investimentos municipais em melhorias da infraestrutura urbana; nas tecnologias de comunicação e de acesso aos serviços públicos; na utilização de processos de compras públicas mais transparentes utilizando os pregões eletrônicos; apoio ao ecossistema de inovação; a criação de uma lei de inovação; e o apoio aos novos investimentos empreendedores. Além da melhoria na estrutura do transporte interurbano (aeroporto), do número de empresas exportadoras com sede na cidade, bem como o crescimento das MEIs e do SIMPLES Nacional”, disse Frank Felisardo, secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo.

Fonte: Ícaro Carvalho | Tribuna do Norte | Foto: Magnus Nascimento