100 anos de Arte Moderna

Para marcar as comemorações do Centenário da Semana de Arte Moderna, o Instituto Gentil programou um evento cultural a acontecer nos próximos dias 11 e 12 (sexta-feira e sábado), em sua sede, Campo Grande, cidade do médio-oeste potiguar.

O evento tem início às 17h30 da sexta-feira, com a realização de um “Sarau músico-poético”, organizado pela Academia Campo-grandense de Letras (ACLAR). Às 18h30, acontece uma palestra abordando a “A transformação cultural da Semana de 1922 e o Modernismo brasileiro”, seguido, às 19h15 de outra palestra sobre “Artes Plásticas”, tendo como palestrante a artista Ângela Felipe.

No sábado, 12, a programação comemorativa tem início às 08h30 com uma “Oficina de pintura em cerâmica”, tendo como facilitador o artista plástico Ajuri Souza. Às 09h30, a escritora Tereza Custódio promove o lançamento do seu livro “O baú de Filomena”. Às 10h30 está prevista a apresentação da Banda de Música Antônio de Pastora que, sob a regência do maestro Juca Tigre, encerrará a programação.

Também conhecida como a Semana de 22, a Semana de Arte Moderna aconteceu no Teatro Municipal de São Paulo, entre os dias 13 e 17 de fevereiro de 1922, marcando o início do modernismo no Brasil e tornando-se a referência cultural do século XX com suas novas ideias e conceitos artísticos. Na sua programação, a Semana trabalhou um aspecto cultural por dia: pintura, escultura, poesia, literatura e música.

Nomes consagrados do modernismo brasileiro fizeram a Semana de 22, como Plínio Salgado, Menotti Del Picchia, Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Anita Malfatti, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos, Tácito de Almeida, Di Cavalcanti e Agenor Fernandes Barbosa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.