R$ 245 milhões em leilão

Esta pintura de Boticelli de 500 anos de Jesus acaba de ser vendida por US $ 45,4 milhões (R$ 244.6 milhões). A obra é agora a segunda peça mais cara do pintor italiano a ser vendida.

Na manhã de quinta-feira (27) em Nova York, durante um leilão de antigos mestres, a Sotheby’s vendeu O Homem das Dores de Sandro Botticelli (do ano de 1500) por US$ 45,5 milhões, tornando-se a segunda obra mais cara do pintor renascentista italiano a ser vendida em leilão.

Quadro raro de 500 anos do pintor Sandro Botticelli é vendido em leilão. Foto: Divulgação/ Sotheby's
Quadro raro de 500 anos do pintor Sandro Botticelli é vendido em leilão. Foto: Divulgação/ Sotheby’s

O preço da pintura ultrapassou o segundo maior leilão anterior do artista renascentista, estabelecido pela obra de arte Rockefeller Madonna (século 16), que foi vendido por US$ 10,4 milhões na Christie’s em 2013.

A venda de O Homem da Dores pela Sotheby’s também pareceu sacudir a categoria em queda, marcando uma mudança entre as casas de leilões, que agora estão se concentrando nas vendas de primeira linha de troféus do velho mundo.

O quadro é um retrato do comprimento do busto de um Cristo coroado de espinhos, cuja cabeça é cercada por anjos voadores que formam uma auréola. Durante o final do século XV e início do século XVI, quando Botticelli entrou nos estágios finais de sua vida, a fé do artista se intensificou. Ele começou a produzir retratos religiosos que se desviavam de seus trabalhos seculares anteriores de nobres florentinos e cenas da mitologia.

Obras de Botticelli raramente chegam ao mercado, e apenas alguns exemplares ainda permanecem em mãos privadas. Vendido de uma coleção americana, o trabalho não mudou de mãos desde que apareceu pela última vez em leilão em 1963, quando foi vendido por £ 10.000.

De acordo com a Sotheby’s, o historiador de arte Federico Zeri identificou a pintura como uma obra autêntica de Botticelli quando foi vendida há quase meio século. Foi exibido publicamente apenas uma vez na memória recente, em 2009, em uma exposição especial no Museu Städel, em Frankfurt.

Em um comunicado após a venda da obra, Christopher Apostle, chefe do departamento de pintura dos Velhos Mestres da Sotheby’s, disse: “O Homem das Dores de Botticelli é uma das obras mais potentes e humilhantes que já encontrei. Embora aparentemente religiosa, é uma pintura de enorme humanidade – um retrato do sofrimento humano e da espiritualidade que fala uma linguagem universal. O resultado de hoje não é apenas uma prova de seu poder e importância, mas também da atemporalidade de obras pintadas há cerca de 500 anos.”

Fonte: Robb Report

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.