Carro elétrico que não precisa de CNH pode vir ao Brasil

O carro elétrico, independentemente da marca, costuma chamar a atenção pela forte aceleração e o torque imediato, mas o Citroen Ami, que pode ser lançado no Brasil pela marca francesa em um futuro próximo, não tem nada disso. Muito pelo contrário.

O modelo francês é um dos carros elétricos mais lentos do mundo e, na Europa, sequer é considerado como tal, e sim um quadriciclo. Por conta disso, não requer que o motorista tenha uma CNH comum, bastando uma licença conhecida como AM.

A licença AM é oferecida para os condutores que tenham idade mínima de 14 anos (no Brasil seria a partir de 16 anos) e desejam conduzir motocicletas e quadriciclos leves, com potência menor do que 50 cm³. E é nesse módulo que o Citroen Ami se enquadra.Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O modelo tem sob o capô uma bateria de 5,5 kWh, que dá a ele autonomia de 70 quilômetros. O motor elétrico, por sua vez, é de apenas 8cv, o que resulta em uma velocidade máxima de 45 km/h.

Citroen Ami é sucesso entre jovens

Citroen Ami tem motor de apenas 8 cavalos (Imagem: Divulgação/Citroen)

O simpático carro elétrico (ou quadriciclo, se preferir) é sucesso de vendas na Europa, principalmente entre os jovens, pois é disponibilizado por valores em torno de R$ 127 mensais, após pagamento de uma taxa inicial de cerca de R$ 21.800.

Por conta desse sucesso, Vanessa Castanho, presidente da Citroën para a América Latina, confessou ao InsideEVs que pensa em trazer o modelo para o Brasil, mas admitiu que precisa, primeiro, verificar como funcionará a legislação.

Caso seja enquadrado como carro no país, ele teria, obrigatoriamente, que ser equipado com airbag duplo, o que aumentaria o custo e, possivelmente, inviabilizaria seu lançamento por aqui.

“Não tem como a gente não querer ter o Ami na América Latina e aqui no Brasil”, comentou a executiva.

Com informações da Assessoria/PR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.